Depoimento sobre matéria da violência na Baixada

 

Na manhã do dia 20 de junho, a ComCausa foi questionada sobre a matéria veiculada no RJTV sobre a conjuntura de violência na Baixada Fluminense por um repórter do jornal Extra. Foi perguntada qual a opinião dos motivos que levaram a esta situação. Por telefone, o fundador da ComCausa, Adriano Dias, afirmou que tem profunda preocupação sobre as dinâmicas apresentadas e que “desde 2009 estamos questionando a mudança da conjuntura do crime na Baixada Fluminense. O investimento concentrado na cidade do Rio. Além do esvaziamento de efetivos e a falta de políticas de segurança pública favoreceram o fortalecimento de grupos criminosos na Baixada”.

 

Das vinte e uma áreas onde existem mais homicídios dolosos, oito estão na Baixada Fluminense. Segundo a Firjan, o ranking é liderado por Belford Roxo, com mais de mil homicídios entre 2013 e metade de 2017, uma média de 201,4 por ano.

 

Considerando as delegacias de polícia, segue as distritais da 2) Posse, 3) Comendador Soares (ambos em Nova Iguaçu); 4) Vilar dos Teles (São João de Meriti); 5) Campos Elísios e 6) Duque de Caxias;  7) Queimados; 8) Ibariê, também em Duque de Caxias.

 

A Baixada também lidera no furto e roubo de carros, na região da delegacia de Vilar dos Teles, em São João de Meriti, com mais de nove mil carros roubados desde 2013 até 2017. Duque de Caxias, Belford Roxo, Nova Iguaçu e Nilópolis estão na lista dos locais com maior número destas ocorrências.

 

Sobre a afirmativa do delegado Ginilton Lages, titular da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense, que atribuiu o elevado número de homicídio “a cultura [de violência] da região”. Adriano Dias falou que isso só ocorre por “existir caldo de cultura para a proliferação dos grupos criminosos e a pratica das violações”. Adriano responsabiliza os municípios pelo não investimento na interrupção dos espirais de violência em cada território. “Por um lado tem que existir investimentos socioeconômicos, pelo outro, políticas de segurança municipais alinhadas com as policias, como o Gabinete de Gestão Integrada de Segurança Pública Municipal”, e concluir, “devemos nos focar em reduzir a letalidade violenta, mas isso ó vai acontecer ser desconstruindo as violações diárias”.

 

A ComCausa marcou para esta semana um encontro para discutir a questão e se comprometeu a reenviar as propostas de políticas públicas para os novos prefeitos da Baixada.

 

#ComCausa

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Últimas notícias

Please reload

Please reload