Dia Mundial de Luta Contra à AIDS

O preconceito não apenas atinge quem é portador diagnosticado, mas pessoas que têm medo de realizar exames para detecção do HIV. O surto de AIDS começou na década de 80 onde grandes intelectuais foram diagnosticados. A associação da AIDS com a homossexualidade foi e ainda é tabu para a realização de exames. A mídia à época contribuiu consideravelmente para a disseminação do preconceito, nomeando o HIV como “O Câncer Gay”. É importante ressaltar que o HIV não escolhe gênero e nem sexo, é uma doença que atinge o ser humano.

 

Nos últimos dez anos, os índices de contaminação entre jovens (de 15 a 24 anos) aumentaram, assim como entre a população acima de 60 anos. De acordo com a UNIAIDS, 19,5 milhões de pessoas estão em tratamento para HIV no mundo. O Dia Mundial de Luta Contra o HIV foi instituído fara desenvolver os esforços contra esta doença. Não apenas para isso, mas para esclarecer as pessoas quanto está patologia, pois, o preconceito é consequência da falta de informação.

 

Dados compilados pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) mostram que cerca de 870 mil mulheres são infectadas pelo HIV todos os anos no mundo. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, entre 2007 e 2015, o número de pessoas com mais de 60 anos infectadas subiu de 3,3 para 5,3 para cada 100 mil habitantes, o que representa um aumento de 60,6% em apenas oito anos. Ainda conforme o órgão, o número de casos em homens jovens, com idades entre 20 e 24 anos, também tem crescido. Subiu de 15,5 em 2004 para 31,3 em 2014 para cada 100 mil habitantes.

 

O HIV pode ser transmitido:

 

• Por relações sexuais desprotegidas (sem o uso do preservativo), anais, vaginais e orais;
• Pelo compartilhamento de agulhas e seringas contaminadas;
• De mãe para filho durante a gestação, o parto e a amamentação;
• Por transfusão de sangue


O Sistema Único de Saúde realiza os exames gratuitamente e sigilosamente, assim como os Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA). Os medicamentos para o devido tratamento são distribuídos gratuitamente.

 

Não tenha medo, realize o exame e viva mais! Use sempre camisinha!

 

- Fernanda Torres

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Últimas notícias

Please reload

Please reload