Disque Denúncia registra ampliação da atuação das milícias em Nova Iguaçu

05.11.2019

Nova Iguaçu foi a cidade do estado do Rio de Janeiro onde ocorreram mais ligações anônimas no Disque Denúncia sobre atuação dos grupos criminosos chamados milícias. Foram cerca de 500 telefonemas de janeiro até 10 de outubro de 2019. Ficando somente atrás do município do Rio, de onde partiram mais de 4 mil denúncias. A chacina de quatro jovens no dia 01 de outubro na região de Miguel Couto, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, teria sido mais uma ação destes grupos marginais.

 

Na ultima sexta-feira, André Luis Vieira Júnior, de 21 anos, Fernando André Rodrigues Torres, de 23, Pedro Paulo do Nascimento, de 20, e Thalles Pereira Rodrigues, de 22, estavam na Rua Rogério de Azevedo, no bairro o bairro Geneciano Miguel Couto, quando foram assassinados. Artêmio Pereira Nunes, de 19 anos, também foi alvejado, mas sobreviveu. Ele está internado com quadro estável no Hospital Geral de Nova Iguaçu. Segundo familiares das vítimas, os quatro jovens assassinados nesta sexta-feira comemoravam o aniversário e o nascimento do filho de Pedro, quando um carro que estava seguindo Artêmio chegou atirando.

 

No final de setembro, três jovens – todos da mesma família, sendo dois irmãos -, foram encontrados mortos no terreno de uma empresa de ônibus ao lado do DPO e da Igreja Católica de Miguel Couto. Segundo investigação da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) pode haver relação dos dois crimes.

 

Na manhã de hoje, dia 05 de novembro, a DHBF identificaram os assassinos dos quatro jovens que pertencem a uma milícia que atua na região. Os nomes não foram revelados para não atrapalhar as investigações. A polícia já tem um mandado de prisão contra ele, por porte ilegal de armas e organização criminosa.

 

#ComCausa

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Últimas notícias

Please reload

Please reload