Exame de consciência do mais do mesmo

15.06.2017

A musica da Legião Urbana do álbum “Que País é Este – 1978/1987”, lançado em 1987, sempre me chamou a atenção, mesmo em meio a clássicos como Que País É Este e Conexão Amazônica. Principalmente a parte que diz: “Bondade sua me explicar com tanta determinação /Exatamente o que eu sinto, como penso e como sou/Eu realmente não sabia que eu pensava assim”. Sempre pensei nessa parte como uma crítica aos intelectuais que ficam com suas faces enterradas nos livros, conjecturando sobre o sofrimento dos “irmãos menos favorecidos” das “comunidades carentes”, consultando suas planilhas e estudos sociológicos-antropológicos, cheios de verdades e conclusões.

 

Nunca achei válida opinião sem ação, sem experiência. Sempre que escuto essa música, lembro que não posso falar nada sobre uma realidade em que não vivo. Tenho sim, que retirar a minha face dos livros e pensamentos prontos e viver um pouco daquilo que acho que tenho uma opinião e (o mais surpreendente) uma solução. Então, não vamos ser “sempre mais do mesmo”, porque “não era isso que eu (eles ou nós) queria (ou queriam ou queiramos) ouvir”.

 

Renato Russo era acima de tudo um contestador. E essa letra contesta a o achismo e a pretensa “superioridade” de alguns estudiosos e intelectualóides sobre a vida de quem está matando um leão por dia.

 

- Alexandre Paiva

 

#ComCausa

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Últimas notícias

Please reload

Please reload